Formação como uma peça no processo de desenvolvimento

Exmos.(as) Senhores (as)

No seguimento de mais uma reunião da CT da FPA, relativo aos referenciais de formação específica da modalidade de Aikido (ponto 1) e ao planeamento das acções de formação contínua (ponto 2), venho por este meio, dirigir à comunidade Aikidoca, um apelo para a devida adequação na construção destes referenciais. Esta missiva que aqui escrevo, é feita em nome individual, sem qualquer tipo de associação a uma ou mais organizações.

O factor formação no desporto é uma peça fundamental no processo de desenvolvimento da nossa modalidade de Aikido, a correcta articulação da formação, pode permitir um salto qualitativo, com benefício para toda a comunidade Aikidoca. 

É este o intuito que me leva a realizar o presente apelo e a expor os problemas que se deparam com a metodologia que está a ser empregue na comissão técnica da FPA. Este é um assunto importante demais e com implicações em todos os envolvidos na prática do Aikido a nível nacional. Portanto não se pode fazer qualquer coisa, muito menos sem fundamentação científica. Não é justo nem ético, elaborar os referenciais num modelo de estágio, pré feito, muito menos, sem nenhum tipo de justificativo ou fundamento teórico.

De acordo com este intuito, e para que esta carta gere um contributo de sinal positivo, no caminho de uma melhor formação para os nossos agentes de ensino, irei tentar mostrar “possíveis” caminhos para a resolução dos diversos problemas que se deparam, dando até exemplos de casos bem sucedidos.  

Documento na integra